Quanto custa viver na Holanda

Uma das primeiras questões que surgem quando se avalia a possibilidade de mudança em outro país é, por exemplo: quanto custa viver na Holanda? Qual o custo de vida de Amsterdam? Ou seja, olhar apenas o salário não faz muito sentido sem a perspectiva do poder de compra e o quão confortável poderá ser a vida de acordo com o custo das coisas. Quando avaliamos nossa vinda para a Holanda tínhamos outra oferta de trabalho para Portugal, e sendo países com custos de vida bastante diferentes esta pesquisa nos demandou algum tempo. Se você está pensando em viver na Holanda e está na fase de tentar entender o valor das coisas vai encontrar aqui várias informações úteis para encurtar a pesquisa.

Obviamente o quanto irá se gastar ao mês dependerá do tamanho da família e do estilo de vida. Nós aqui somos 4 (2 adultos, uma criança e um bebê) e essa configuração por si só muda tudo. Bebê precisa de fralda e fórmula, criança tem escola, e por aí vai. Por isso nas dicas abaixo estão estimativas para cada grupo de contas, de forma que você possa estimar as suas e dar uma “pesada” naquilo que normalmente mais custa no seu orçamento (lazer, educação, viagens, etc).

Calcular o custo de vida – por onde começar?

Uma dica legal para iniciar sua pesquisa de quanto custa viver em outros países seria o Numbeo.com, que usamos para ter uma ideia inicial quando começamos a comparar o custo de vida entre Brasil, Holanda e Portugal. Ali você terá uma ideia geral sobre o custo das coisas e poderá avaliar se como o país escolhido está em relação ao custo de vida.

O Glassdoor é também bem interessante para verificar se a proposta de salário que você está avaliando é condizente com a média de mercado. Na Europa há menos flexibilidade para “negociar” seu passe. Por aqui os salários são calculados com base nas suas atribuições e tempo de experiência, e as promoções salariais acontecem quando você aumenta seu escopo ou responsabilidades (tá certo né?). Por isso é fundamental dar uma olhada antes se a proposta é boa em relação à média de mercado, já que sua próxima movimentação dependerá destas oportunidades. Para saber mais sobre isso dê uma olhada neste post sobre alternativas de trabalho na Holanda. Vale dizer que a carga de impostos sobre o salário é bastante alta na Holanda, então, caso tenha dúvidas sobre quanto será seu rendimento líquido faça a simulação neste site.

Outra coisa que fizemos foi montar uma tabelinha simples com os gastos mensais, preenchido com os valores das nossas pesquisas. Enviamos esta tabela para amigos que já moravam há um tempo na Holanda perguntando: “Isso faz sentido para você?” e assim fomos ajustando nossas estimativas, as tornando bem próximas das realidade.

Por fim, há quem pense que morar na Europa é de certa forma mais “barato” porque o governo paga muitas coisas (escola, saúde, segurança, tudo público e de qualidade). Epaaa!!! Muita calma nessa hora, a coisa não é bem assim e é preciso estar bem preparado para não passar perrengue. Realmente o estilo de vida é diferente, se acumula menos e se utiliza bem mais os espaços públicos (parques, bibliotecas, etc) do que o privado (sabe condomínio que parece clube?). Mas ainda assim as coisas custam caro e é preciso estar preparado, especialmente se você vem com a família toda.

 

Exemplo de informação que pode ser pesquisada no site Numbeo.com

Diferenças Brasil e Holanda

Se o estilo de vida muda, os gastos mudam junto. No gráfico abaixo dá para ter uma idéia de como a distribuição do nosso orçamento mudou do Brasil para a Holanda. Vale citar que morávamos em Santa Catarina, então nossos custos de transporte e moradia, por exemplo, eram menores se comparados a uma cidade como São Paulo.

No gráfico dá para notar que moradia é uma conta pesada por aqui, quase metade dos gastos. No Brasil este custo era referente ao financiamento do nosso apê + condomínio, e aqui ao aluguel. Outra grande diferença são custos com educação, já que lá pagávamos escola particular para a Nick e aqui a escola é gratuita a partir dos 4 anos (veja mais neste post sobre custos da escola da Holanda).

No Brasil a empresa pagava plano de saúde para a famíllia como parte dos benefícios, por aqui isso não é normalmente parte do pacote e é preciso pagar pelo seguro obrigatório (veja aqui sobre custos da saúde na Holanda).

Na categoria transporte estamos comparando aí entre o transporte público por aqui (caro!) e ter um carro para a família no Brasil. Outra diferença marcante é que no Brasil comumente pagamos por serviços como limpeza da casa (no nosso caso uma limpeza semanal), beleza (salão, manicure), etc. Por aqui a gente tem que matar tudo no peito, ao estilo “faça você mesmo” ?.

Vale lembrar que estas são estimativas mensais, e que “shit happens all the time“. No nosso caso, somente como exemplos recentes: 120€ de multa de estacionamento, 250€ por abastecer com o combustível errado o carro alugado (sim, isso mesmo… ??‍♀️), 250€ por esquecer a chave no lado de dentro do trinco da porta num sábado (nosso vizinho pagou 400€ por ser domingo), e por aí vai. Também não constam aí viagens e taxas / impostos que dependem da prefeitura.

Os principais grupos de contas

Moradia

Vamos de cara para a mais dolorida. O Pararius e o Funda são as duas principais referências para pesquisa de imóveis em Amsterdam e arredores. Para alugar de fato alguma coisa é preciso estar por aqui, fazer as visitas e “lutar” por este espaço no mundo. Mas estes sites são uma excelente fonte de consulta para ter ideia dos valores.

Os custos serão bem mais altos em Amsterdam (especialmente nas proximidades do centro) e mais acessíveis em cidade próximas como Zaandam e Almere, por exemplo. Leve em consideração que as imobiliárias podem pedir 2 (e às vezes até 3) aluguéis na contratação do imóvel, e que muitos deles vem sem piso (é isso mesmo que você ouviu) ou móveis, então leve estes valores em conta nas suas pesquisas.

Alimentação

Neste post contei um pouco sobre como é a alimentação por aqui, e no site do Albert Heijn (principal mercado holandês) você pode brincar à vontade para pesquisar custos de alimentos que sua família está habituada. Se é amante de carne, sinto dizer que elas são de excelente qualidade, mas caras.

Como nós fazemos tudo andando e as geladeiras aqui são normalmente bem pequenas (pensa assim num frigobar melhorado), nos habituamos a fazer compras semanais (é bem verdade que vivemos no mercado). Digamos que com 50 € é possível fazer uma comprinha ok para a semana.

Comer fora dependerá, é claro, do quão sofisticado o lugar e a refeição, e se com ou sem bebidas. Mas somente para ter uma ideia, uma pizza individual sai por mais ou menos 10 €, um prato de risoto ou massa uns 15 € e uma taça de vinho 5 €.

Saúde

Este post aqui está super completão e tem tudo o que você precisa saber sobre a saúde na Holanda (sério, leia antes de vir). Sobre os custos, se você tem mais de 18 anos precisará pagar por um seguro de saúde. Ele é obrigatório e privado (crianças não pagam nada, inclusive atendimento odontológico). Assim você deverá escolher uma dentre as diversas empresas que operam por aqui (esta é a nossa) e fazer um plano anual. Este é inclusive o período mínimo de contratação e somente após um ano você poderá fazer ajustes incluindo coberturas extras por exemplo.

Ainda que o sistema seja privado o governo interfere muito, instituindo as regras do sistema e subsidiando parte dos custos. O pacote de cobertura mais básico gira em torno de 100 € mensais por pessoa, sem dentista. Optar por um plano mais completo não significa tratamento em hospitais “melhores” ou algo do tipo. Simplesmente significa incluir na cobertura alguns tratamentos ou exames a mais.

A maioria dos medicamentos estará coberta pelo seu plano, ficando para a conta farmácia custos de medicamentos liberados (vitaminas, remédio para dor de cabeça, antiácido, dor de estômago e outras coisas do dia a dia), e itens de higiene.

Educação

Estudar na Europa fica mais bem em conta se você tiver um passaporte europeu. Um Master por exemplo, gira em torno de 15 mil euros ano para os “de fora” e 2 mil ano para europeus.

Cursos de idiomas ficam em torno de 600 € por módulo. Como exemplos: Uva Talen (na média 620 € para um módulo de 40 horas), British Language Training Centre (na média 595 € para um módulo de 46 horas) e Mix Tree (mais alternativo, onde eu estudei, 380 € para um módulo de 30 horas). Veja mais sobre isso aqui.

Já para a educação infantil os custos dependerão da idade da criança e tipo de educação escolhido. A partir dos 4 anos a escola pública (em holandês!) é gratuita, com apenas uma contribuição anual que varia conforme a escola (de 50 a 200 € ano). Agora, se for o caso de uma creche (de 0 a 4 anos) ou escola internacional (educação 100% em inglês) prepare-se para abrir (rasgar) a carteira. Neste post está tudo o que você precisa saber sobre isso.

Transporte

O jeito mais barato (e popular) de transporte aqui é a bike. Transporte público na Holanda é bom e caro. Chegamos a gastar 400 € em meses mais “agitados”. Uma alternativas para estes casos, onde se sabe que a família vai “roda” bastante é comprar um plano mensal com tudo liberado para as áreas por onde costumam ir. O pacote mensal para Amsterdam sai por 93 € e pode ser comprado no site da GVB, onde aliás tem todas as informações e preços para o transporte público.

Outra opção viável são os car sharing – um sistema onde você encontra o carro mais próximo através de um aplicativo, liga o carro pelo app, paga por tempo de uso e o devolve em qualquer vaga de estacionamento, dentro da área de cobertura. Além da praticidade e o custo, não é preciso se preocupar com devolver abastecido (só checar a carga, os carros são elétricos) e estacionamento, já que se você deixá-lo carregando na vaga não há custo. Nós usamos bastante o Ionic, que custa 0,25 € por minuto ou 60 € a diária. Outras opções são o Green Wheels e o Car2Go (este último para 2 lugares).

Há também a possibilidade de comprar um carro, claro, mas os custos são mais complexos, pois além do preço do carro em si há a questão do seguro, abastecimento, manutenção, imposto (que muda conforme peso e tipo de combustível), e então fica para um próximo post.

Compras / Vestuário

Falar de compras é algo bem abragente, mas podemos dizer que há para todos os gostos e bolsos. Amsterdam é uma cidade bem internacional, com lojas de todas as marcas comumente encontradas nos grandes centros.

Para roupas, dá para encontrar artigos super baratas em lojas como a Primark (só tem brasileiro lá) ou H&M. Além das tradicionais C&A e Zara, ou a recém aberta por aqui Uniqlo. Tem muita gente que prefere comprar on-line em lojas como a Next ou a Zalando (entregam super rápido).

Para mobiliar a casa vá na Ikea. A Hema têm artigos de decoração fofos (também roupas), Blokker para utilidades domésticas e a Action para tudo e mais um pouco (de roupas a brinquedos e decoração), com preços assustadoramente baratos (há quem evite por suspeitas ideológicas, eu ainda não cheguei nessa fase).

Para eletrônicos vale dar uma olhada na Amazon da Alemanha (que entrega aqui). Para bikes dê uma olhada na Decathlon. E antes de comprar qualquer coisa nova pesquise se não tem um bom – bonito – barato e usado no site da Marktplaats.

Outros

Uma vida inteira tem muitos detalhes e custa muito não é mesmo? A lista não tem fim! Mas somente para dar uma geral, seguem alguns outros itens: um mês de academia por volta de 40€; atividades físicas normalmente 10€ a hora/aula; plano básico de internet e TV 70€; plano básico de celular 22€; corte de cabelo masculino 20€; corte de cabelo feminino 60€; manicure 40€ ?.

Para gás e energia elétrica neste site estão os fornecedores e nas respectivas páginas dá para fazer a simulação de custo. O valor cobrado mensalmente é uma estimativa pelo número de moradores, uma vez por ano eles fazem a medição e mandam a conta da diferença. É bom não abusar do aquecedor para não morrer do coração neste dia.

Curtiu o que viu e parece que vai dar pé?  Então você provavelmente gostará de saber mais sobre o perfil do holandês, mercado de trabalho, alimentação, saúde e o muito mais para se preparar para esta virada (de cabeça pra baixo) na sua vida. Clique nos links para saber mais.